Artigo

Treinamentos e dicas em rede social compartilhados por atletas

ciclista-e-infertilidadeO cientista espanhol Francisco Martín fundou, anos atrás, uma empresa de tecnologia de geração de recomendações personalizadas. Agora, o site (www.strands.com) funciona como uma rede social voltada a esportistas. Corredores, nadadores, ciclistas e atletas em geral podem postar seus tempos, organizar agendas e treinamentos, trocar idéias e dicas, indicar novos dispositivos e combinar encontros em eventos ligados ao desporto.
“Nos Estados Unidos, 20 milhões de pessoas correm habitualmente e no ano passado oito milhões delas concluíram alguma prova organizada. Dentre os milhões de corredores de todo o mundo sairão as centenas de milhares de usuários que esperamos atrair”, disse Martín, que se especializou em inteligência artificial nos Estados Unidos, ao site do jornal El País.
“Começamos com recomendações ligadas principalmente à música e às finanças, mas depois entramos na área do esporte. Crianmos nossa própria rede na qual, na mesma página em que o usuário coloca seu treinamento cotidiano, também pode colocar fotos e vídeos de portais como YouTube ou Flickr, além de compartilhar os dados dos treinos via Twitter, Facebook ou iPhone”, continuou.
Os dados dos atletas – como distância, ritmo, tempo, pulsação, peso e outros – podem ser introduzidos de forma manual ou automática, ou baixados direto de serviços como Nike Plus ou Garmin. Imagens de satélite com os planos de rotas também podem ser adicionados.
Os lucros que farão da Strands um bom negócio virão das recomendações de compra dirigidas aos atletas. “Todo corredor compra tênis ao menos uma vez por ano, e no site pode encontrar conselhos a respeito do tênis que seja o melhor para ele e o melhor lugar para comprá-lo”, exemplificou Martín. “Ainda que tenhamos um número menor de usuários do que outras redes sociais, os nossos têm uma paixão em comum e um poder de compra interessante para a publicidade”, afirmou.
Como padrinho da empresa e laço com o mundo do atletismo está, desde o início deste mês, Abel Antón, ganhador da medalha de ouro na maratona nos campeonatos mundiais de atletismo em 1997 e 1999. “Quando eu corria não havia computadores nem internet que ajudassem, eu anotava meus treinos e tempos em uma caderneta”, lembrou o atleta. “Seria bom se tivéssemos, naquela época, este diário eletrônico”.

Fonte: http://www.educacaofisica.com.br

email_ass

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *